O Uso Terapêutico do Tarot


O tarólogo Giancarlo Kind Schmid explica de forma sucinta, simples e objetiva as várias aplicações do tarot na atualidade. Assim nos descreve Giancarlo:


Essas são as práticas terapêuticas mais populares e conhecidas que usam o tarot como instrumento:


1- O Tarot e a Psicologia


Alguns psicólogos, principalmente os junguianos, tem usado o tarot de forma terapêutica, ou seja, aquilo que não conseguem detectar durante a sessão com o paciente é revelado através da leitura do tarot, sendo que o mesmo dá uma maior abrangência ao tratamento. Porém, vale dizer que o tarot não substitui o tratamento psicológico tradicional. Ele apenas ajuda e amplia a capacidade de entendimento do psicólogo, uma vez que o tarot acessa com facilidade o que está contido no inconsciente da pessoa.


2- O Tarot e os Florais


Essa prática ganhou destaque a partir da década de 90. O tarólogo, através de métodos específicos, identifica o momento psicoemocional do consulente e lhe sugere uma receita que deve ser ministrada durante um período. Nesse caso, o tarot substitui a anamnese para o levantamento biopsíquico do consulente.


3- O Tarot e a Oniroterapia


É uma prática em que se usa o tarot para entender os sonhos de forma mais aprofundada. Realiza-se uma "ponte" entre o conteúdo simbólico dos sonhos com o dos arcanos , criando-se assim uma associação de símbolos. Dessa maneira pode-se acessar conteúdos profundos do momento psíquico do consulente.


4- O Tarot e a Meditação


As correntes ocultistas de magos importantes como Crowley, C.C Zain, Ouspensky e outros sugeriram os uso do tarot para meditações diárias, em que o usuário das cartas reflete sobre um assunto qualquer ou sobre seu momento atual, suas ações e decisões, visando alcançar maior clareza interior. Alguns trabalham com um único arcano, outros usam métodos específicos, o que varia de pessoa para pessoa.


5- O Tarot e a Arteterapia


Prática em que as imagens do tarot são transformadas em arte. O ocultista Zain sugeriu aos tarólogos que pintassem seus baralhos, o que se transformou num tipo de arteterapia rudimentar. Atualmente a prática agrega vários segmentos como a dança, a pintura, a escultura, a poesia, a música, entre outros. Seu objetivo é atenuar as tensões do praticante e fazer com que ele se relacione de forma direta com suas emoções mais profundas "desbloqueando" a psique.


Há outras áreas terapêuticas que também utilizam o tarot, como a Neurolinguística, a Cristaloterapia, e muitas outras ainda", finaliza Giancarlo.